Guardiões

Srila Bhakti Nirmal Acharya Maharaj

Srila-Acharya-Maharaj

Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj

GDSrila-Govinda-Maharaj1

Srila Bhakti Raksak Sridhar Dev-Goswami Maharaj

Srila-Sridhar-Maharaj

Srila Bhakti Siddhanta Saraswati Thakur

Srila-Saraswati-Thakur

Srila Gaura Kishor Das Babaji Maharaj

040711_nabadwip-hiRe54

Srila Bhakti Vinod Thakur

Srila-Bhakti-Vinod-Thakur

Srila Jagannath Das Babaji Maharaj

040711_nabadwip-hiRe55

Trecho do livro Verdade Revelada, por Srila Govinda Maharaj

Guru-paramparā, a linhagem preceptorial de Gurus, é como um sistema telescópico. Dentro de um telescópio, há muitas lentes e quando elas são devidamente ajustadas, uma por uma, podemos ver através delas as coisas que não temos o poder de ver com a nossa própria visão. Os Gurus da nossa paramparā são como lentes de um telescópio. Há poder dentro de cada uma das lentes, que aprofundam a nossa visão e nos mostra como satisfazer Śrīmatī Rādhārāṇī e o Senhor Kṛṣṇa.

Trechos do livro Sri Guru e Sua Graça, por Srila Sridhar Maharaj

Nosso guru-parampara, ou sucessão discipular, vai em busca do ideal, e não do corpo. É uma sucessão de mestres espirituais instrutores e não de mestres espiritais iniciadores formais. (…) A verdade mais elavada da consciência de Krishna descende através do canal dos siksa gurus, os mestres espirituais instrutores. Aqueles que tem o nível idôneo de realização, na linha apropriada, foram incluídos na lista de nossa sucessão discipular. Este não é um diksa guru parampara, uma sucessão de gurus iniciadores formais. (Pag. 87)

“O mestre original é Nityananda Prabhu. Ele é a representação geral do guru. No mundo espiritual, Ele é o princípio de guru-tattva nos quatro humores primários da devoção, exceto o humor conjugal. (…) A posição de Nityananda é superior à de Baladeva. Por quê? Porque Ele está distribuindo prema, amor divino. E o que é prema? É o mais elevado de todos os ganhos. Se alguém puder outorgar amor divnio, todos os demais deverão ser-lhe submissos. Se Krsna subordina-se a Mahaprabhu, é óbvio que Balaram está subordinado a Nityananda.
Eles são similares; porém, quando se agrega a magnanimidade Balarama converte-se em Nityananda. Esse Balaram que pode distribuir amor divino, que pode levar a cabo essa função suprema, veio aqui como Nityananda. (…) Nityananda Prabhu controla seus sentidos em grau supremo. Ele nada tem a ver com este mundo. (…) Primeiro devemos obter Sua misericórdia e, logo, poderemos receber a misericórdia de Radha-Krsna. Sri Chaitanya Mahaprabhu significa Radha-Krsna. Devemos alcançar primeiroa misericórdia de Nityananda Prabhu, depois a de Gauranga Mahaprabhu e, por último, a de Radha-Govinda. Temos que nos elevar através dessas três etapas.
 
Nityananda Prabhu foi a Bengala, porém , nem sequer tratou de pregar as glórias do santo nome de Krsna. Ele começou a pregar o nome de Gauranga, pois obsrevou que havia perigo de que as pessoas pensassem que os passatempos de Krsna assemelham-se à sensualidade mundana, à mentira e à tendência ao roubo de uma alma degradada. (…) Observou que seria mais fácil pregar o Gaura-lila, no qual Krsna veio para distribuir-Se ao público, com uma enorme riqueza em Sua mente. Gauranga é um dínamo sobrecarregado com a piedade e a bondade mais magnânimas e intensas, que deseja distribuir Krsna para as pessoas comuns, (…) e assim o Krsna-lila estaria automaticamente ao alcance de suas mãos.” (Mais apropriado para Era de Kali)
(…)
“Existem três tipos de mestres espirituais. O guru de primeira classe estende um pé do mundo espiritual para dentro do mundo material e conduz as almas de cá para lá. O guru no estágio intermediário está situado aqui, mas estende um pé para o mundo espiritual e conduz as almas para lá. O guru de classe inferior tem ambos os pés aqui, mas enxerga claramente o plano superior, e está se esforçando por levar as almas deste para aquele plano. Não se trata de três níveis de vaisnavas, mas três níveis de guru”.
(…)
“Desse modo, há diferentes visões de nosso mestre espiritual. A forma de ver nosso mestre espiritual varia segundo nosso progresso gradual na consciência de Krishna. Na etapa primária do serviço devocional pede-se ao discípulo que veja o guru como o próprio Krsna. Em seguida, verá o guru como a potência específica de Krsna, de acordo com sua exigência interna. Ele encontrará seu mestre situado em uma modalidade devocional determinada, seja de servidão, amizadde, amor paterno ou amor conjugal. Esta diferenciação continuará até que a pessoa possa ver o próprio Krsna, juntamente com a energia interna (svarupa sakti) dentro de Krsna”.
 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s